Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2015

Será assim o futuro?

"Comecei a amar-te no dia em que te abandonei.
Foram as palavras dele quando, dez anos depois, a encontrou por mero acaso no café. Ela sorriu, disse-lhe “olá, amo-te” mas os lábios só disseram “olá, está tudo bem?”. Ficaram horas a conversar, até que ele, nestas coisas era sempre ele a perder a vergonha por mais vergonha que tivesse naquilo que tinha feito ( como é que fui deixar-te? como fui tão imbecil ao ponto de não perceber que estava em ti tudo o que queria?), lhe disse com toda a naturalidade do mundo que queria levá-la para a cama. Ela primeiro pensou em esbofeteá-lo e depois amá-lo a tarde toda e a noite toda, de seguida pensou em fugir dali e depois amá-lo a tarde toda e a noite toda, e finalmente resolveu não dizer nada e, lentamente, a esconder as lágrimas por dentro dos olhos, abandonou-o da mesma maneira que ele a abandonara uma década antes. Não era uma vingança nem sequer um castigo – apenas percebeu que estava tão perdida dentro do que sentia que tinha de ir para …

Music, a state of mind #10

Imagem
Try - Pink
"Ever wonder ‘bout what he’s doing? How it all turned to lies? Sometimes I think that it’s better to never ask why
( . . . )
Funny how the heart can be deceiving More than just a couple times Why do we fall in love so easy? Even when it’s not right"

Regressa a ti. Por favor.

"Ama-me e devolve-me. 
Ama-me e deixa-me ser eu outra vez.

Ama-me e faz com que eu volte a mim. 
Ama-me e regressa a ti.

Ama-me e acalma-me.
Ama-me e serena tu de vez.

Ama-me e traz-me a mim. 
Ama-me e traz-te a ti.

Ama-me. 
Sabes que te queres aqui."


de Rita Leston in ' Gosto de ti, e então? '

Music, a state of mind #9

Imagem
Rubi - Azeitonas
"Amanhã cai a noite
E cais nos braços de outro alguém
Sem saberes que sofro em solidão
Como posso resistir
se eu te amo noutra dança
Quando me levas até ao Bolchoi,
À Opera, ao Scala de Milão…
Em sonhos"

Nunca esta música fez tanto sentido...

E foi assim.

"E foi assim na primeira vez que te vi: tive todas as certezas quando, frente a frente, pela primeira vez nos olhámos. Ou quando nos reencontrámos. Eu sorri-te com o olhar, tu ofereceste-me um sorriso rasgado.

E foi assim na primeira vez que te vi: os nossos corações descompassaram e passaram a bater em uníssono. As nossas almas recordaram-se uma da outra. As nossas memórias avivaram-se e ganharam cor. Os nossos braços passaram a ter um abraço.

E foi assim a primeira vez que te vi: apaixonei-me e tive a certeza que já te conhecia. Que o nosso amor não é daqui. É de lá de trás. De agora. E de ora em diante."

de Rita Leston in ' Gosto de ti, e então? '

E é isto.

"E é isto. Não posso. Não posso deixar de te amar. Não é escolhido. Não é imposto. Não é forçado. Apenas não sei e não consigo. E não quero. Sem birras. Sem paranóias. Sem cobranças ou jogos de poder.

Ensinaste-me o que é amar. Ensinaste-me o que é querer ter alguém ao meu lado. Mostraste-me o que é amar alguém como uma extensão de mim mesma. Aprendi contigo a viver a vida vista com outros olhos. A saborear o tanto que ela afinal nos dá. Conheci o teu beijo e percebi que nenhum outro tem o mesmo sabor. Que o teu abraço se encaixa no meu corpo e me faz inteira.

Aprendi. Conheci. Cresci.
Contigo. E só contigo.

Amo-te.
E é isto."

de Rita Leston in ' Gosto de ti, e então? '


Boa noite . . .