8 meses depois.

Estavamos nós, só tu e eu, a sorrir um para o outro. A passear. A namorar. A ser felizes. E depois... depois lá estava eu, na "nossa" cama, agarrada a ti, com a minha cabeça encostada no teu peito. Como eu amo(ava) estar assim. Sentia-me no paraíso. E estava no paraíso. Porque tu eras e sempre foste o meu paraíso. Eu só te queria a ti, e tu estavas mesmo ali...estavas ali. Comigo. O que é que eu poderia querer mais? Nada. Absolutamente nada.

Mas acordei. Acordei e apercebi-me que tudo não passou apenas de um sonho. Quando penso que te tenho ao meu lado... Quando penso que somos um só... Quando penso que somos um do outro para sempre... Quando penso que tudo vai dar certo... Eu acordo. Acordo e caio na dura realidade de que é apenas mais um sonho. Um como tantos outros.

Passo tantas noites sem sonhar e hoje, logo hoje, foi este o meu sonho. 

Logo hoje que faz oito meses em que decidiste que era melhor vivermos a nossa vida separados. E logo hoje que faz uma semana que me obrigaste a tomar uma das decisões mais dificeis de sempre. Imagino que estejas a dizer "mas eu não te obriguei a nada" e, no fundo, até tens razão... Porque obrigar, não obrigaste. Mas depois de tudo aquilo que aconteceu, depois da decisão que tu tomaste, não havia mais nada a fazer. Eu não podia continuar aqui como se nada se estivesse a passar. Não podia continuar a fazer parte da tua vida. Não podia. Tive que te dizer adeus. Não vou dizer que foi um adeus definitivo, para sempre. Porque tu, sabes tão bem ou até melhor que eu, que nós nunca nos iremos perder definitivamente um do outro. Teremos, para sempre, aquela ligação especial que nunca nenhum de nós soube explicar mas que sabemos que é inquebrável. E é por isso que eu tenho a certeza que mesmo que o futuro nos reserve outras caras-metades, nós nunca mas nunca nos separaremos.

Mas não é por isso que deixa de doer. Não é por isso que deixo de sofrer. E sei que vai continuar a ser assim durante muito tempo... No entanto, também sei que esse tempo vai ajudar a que a dor diminua mas nunca que o amor desapareça. Porque esse eu sei que não desaparecerá. 

Nunca.

E sabes o que é que mais parvo no meio disto tudo? Sabes o que é que não faz sentido nenhum? É que eu sinto que o teu amor por mim também não desaparecerá. Eu sinto que nunca seremos verdadeiramente felizes porque não estaremos ao lado um do outro. E tu também o sentes. E é por isso que tu sabes que te vais arrepender...

Mas as coisas foram como foram e é com este presente que temos que viver. Por muito que nos custe. Por muito que nos doa.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Ela.